Você está aqui: Página Inicial Pós-graduando Defesa Orientações gerais

Orientações gerais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

 Preenchimento do formulário, que deve ser feito pelo orientador(a) e enviado por e-mail, NO ASSUNTO DO E-MAIL COLOCAR: “SOLICITAÇÃO DE DEFESA”

  • ATENÇÃO: o aluno deve conversar com seu orientador, pois, ao mesmo momento em que seu orientador entregar o pedido de qualificação, o aluno deve enviar à secretaria os demais documentos aqui solicitados.
  • Além disso, o aluno deve entregar, concomitantemente, 01 cópia do parecer de aprovação do Comitê de Ética e Termo de Confidencialidade (este termo deve ser entregue com assinatura física/original).

ATENÇÃO

 

*A reserva de sala e equipamentos será feita pela Secretaria (no caso de equipamentos, os mesmos devem ser apontados em formulário).

 *Para que todos os trâmites sejam realizados, a banca deve ser aprovada, primeiramente, em reunião da CEPG e da Câmara de Pós-graduação (tudo isso com no mínimo 60 dias antes da defesa).

 

CAPÍTULO XI – DA APRESENTAÇÃO DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO 

Artigo 59º - Antes da defesa da Dissertação o candidato deverá cumprir as seguintes exigências: I. Ter sido aprovado em Exame de Qualificação; II. Ter totalizado o número mínimo de créditos em disciplinas e atividades complementares exigidos para integralização do curso. Artigo 60º - Após a elaboração da Dissertação de Mestrado, o orientador, de comum acordo com seu orientando, encaminhará à CEPG um exemplar da Dissertação para defesa. A CEPG encaminhará à Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa da EFLCH e CPG o exemplar e a proposta da Banca Examinadora. Parágrafo único - O aluno deverá submeter a dissertação à CEPG com as modificações sugeridas pela banca examinadora para posterior homologação de sua dissertação junto à Câmara de Pós-Graduação da Unidade e à CPG da UNIFESP em prazo não superior a 30 (trinta) dias após a defesa da dissertação. 

CAPÍTULO XII – DAS COMISSÕES JULGADORAS E DO JULGAMENTO DAS DISSERTAÇÕES SEÇÃO I - DAS COMISSÕES JULGADORAS 

Artigo 61º . Os membros titulares e suplentes das comissões julgadoras são definidos pela CEPG e homologados pela Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa da Unidade Universitária. Artigo 62º - A Comissão Julgadora da Dissertação de Mestrado será constituída por 3 (três) avaliadores. Parágrafo único – No caso de defesa presencial, o Orientador presidirá os trabalhos, mas não emitirá parecer. Artigo 63º - Na falta ou impedimento do Orientador à sessão de defesa da tese, a CEPG designará um substituto. Artigo 64º - É vedada a participação do coorientador em Comissão Julgadora da qual participe o respectivo Orientador. Artigo 65º - Os membros da Comissão Julgadora deverão ser portadores, no mínimo, do título de Doutor. § 1° - Em situações excepcionais, poderá participar da comissão julgadora o profissional que não possua titulação mínima de Doutor, que porém denote notório saber e/ou reconhecida competência profissional, técnica, científica, tecnológica ou artística. § 2º - A participação em Comissão Julgadora de profissionais sem titulação de Doutor deverá ser devidamente justificada pela CEPG à Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa da Unidade Universitária para homologação. Artigo 66º - Na composição da Comissão Julgadora da dissertação de Mestrado pelo menos um dos membros titulares deverá ser externo à Universidade Federal de São Paulo e não pertencente ao corpo de Orientadores do Programa de Pós-Graduação em que estiver matriculado o candidato. Parágrafo único - A Comissão Julgadora da dissertação de Mestrado deverá ter 1 (um) membro suplente. Artigo 67º - É vedada a participação, nas Comissões Julgadoras, de cônjuge, companheiro ou companheira e de parentes, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, em relação ao candidato. Artigo 68º - É vedada a indicação pelo aluno de membros da comissão julgadora que avaliará sua dissertação. 

SEÇÃO II - DOS JULGAMENTOS

 Artigo 69º - A dissertação de Mestrado será considerada APROVADA ou REPROVADA, conforme decisão da maioria simples dos membros da Comissão Julgadora. Artigo 70º - A avaliação da dissertação de Mestrado poderá ocorrer de forma não presencial por meio de pareceres circunstanciados de cada membro da Comissão Julgadora, por escrito, e enviados à Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Artigo 71º - A sessão de defesa será constituída de duas fases: exposição oral do trabalho e arguição do candidato pela Comissão Julgadora em sessão pública. Parágrafo único – A exposição oral do trabalho dar-se-á num período de tempo entre 20 a 30 minutos. Artigo 72º - A fase de exposição oral do trabalho será realizada em sessão pública. Artigo 73º - Na fase de arguição do candidato pela Comissão Julgadora, cada examinador disporá de 30 minutos para suas considerações e o candidato contará com igual tempo para suas respostas. Parágrafo único - A critério da Comissão Julgadora poderão ser oferecidas duas modalidades para a fase de arguição do candidato: modalidade de diálogo ou modalidade de perguntas seguidas por respostas. Artigo 74º - Imediatamente, após a conclusão da fase de arguição do candidato pela Comissão Julgadora, cada examinador expressará seu julgamento, em sessão secreta, considerando o candidato Aprovado ou Reprovado. Artigo 75º - A conclusão da Comissão Julgadora será formalizada, por escrito, o resultado será proclamado ao candidato e o documento encaminhado à Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa da Unidade e Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa para homologação pelo Conselho de Pós-Graduação e Pesquisa. Artigo 76º - A sessão de defesa da dissertação ou trabalho de Mestrado poderá ser realizada em outro idioma, desde que devidamente justificada a escolha e aprovada pela CEPG. Parágrafo único - Além de a defesa poder ocorrer em outro idioma, em situações excepcionais, o mesmo pode acontecer com o idioma da dissertação apresentada. Artigo 77º - A critério da CEPG, a sessão de defesa poderá ser realizada, com membros da Comissão Julgadora participando por meio de modalidades de videoconferência. Artigo 78º - No caso da Comissão Julgadora reprovar o candidato ao título de Mestre, haverá direito a uma nova apresentação, num prazo de no máximo 1 (um) ano desde que não ultrapasse os prazos máximos definidos pelo Programa. § 1° - Se o candidato, após a reapresentação da defesa, for novamente Reprovado, será desligado do Programa de Pós-Graduação conforme reza o artigo 34 do presente regulamento. § 2° - O desligamento por duas reprovações da defesa deverá ser informado ao Conselho de PósGraduação e Pesquisa por meio de ofício circunstanciado assinado pelo Coordenador do Programa, com a ciência da Unidade Acadêmica. § 3° - Em caso de reapresentação da defesa, poderá ser constituída idêntica Comissão Julgadora, ou não, a critério da CEPG. Artigo 79º - Os casos omissos desse Regulamento serão decididos pela CEPG, pela Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa da EFLCH e pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa.

Ações do documento